Nosso lindo planeta azul!

Por: Equipe Craque da Leitura
Sabia que até o século 17, muita gente acreditava que a Terra ficava imóvel no centro do universo? A seguir, esclarecemos para os nossos craques essas e outras informações importantes (e verdadeiras!) sobre o terceiro planeta do sistema solar.

 

Mesmo com o avanço das pesquisas científicas, ainda não sabemos tudo sobre a Terra. É o terceiro planeta do sistema solar e possui recursos próprios para a manutenção da vida. A partir do momento que os seres humanos passaram a observar o céu e registrá-lo em estudos, diversas crenças sobre o “mundo” surgiram e impactaram a vida da sociedade.

 

Uma delas foi a da Terra ficar parada no centro do universo, enquanto o Sol, as estrelas e outros planetas giravam ao seu redor. Esse pensamento não ultrapassou o século 17 graças ao físico e astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642) que provou que era a Terra que girava em torno do Sol.

 

Por ser a estrela mais próxima da Terra e assegurar as condições necessárias para existir vida no planeta, o Sol é considerado o “astro-rei”. E não pense que o Sol aquece menos no inverno devido à distância da Terra em relação a ele. É o eixo de inclinação da Terra que gera essa sensação. #ficaadicadocraquedaleitura

 

Aliás, a Terra se move sem parar e ainda assim, o Sol aparece todas as manhãs no mesmo lado do horizonte e se põe ao entardecer no lado oposto. Foi preciso criar indicadores de direção (pontos cardeais) para a localização e orientação geográfica.

 

O Norte (N) é o lado que fica à sua frente ao estender o braço direito na direção em que o Sol nasce, o Sul (S) é o que fica em suas costas ao estender o braço direito na direção em que o Sol nasce, o Leste (L) é o lado onde o Sol aparece no horizonte pela manhã e o Oeste (O) é onde o Sol desaparece no horizonte.

 

Normalmente, aqueles pontos pequenos e brilhantes no céu são estrelas. Parecem próximas, mas estão há milhares de quilômetros de distância. Elas variam muito de tamanho, chegando a ser menores que o Sol ou até um pouco maiores que o planeta Júpiter. A estrela Antares, por exemplo, é 300 vezes maior que o “astro-rei” e integra a Constelação do Escorpião.

 

Os grupos de estrelas que formam uma determinada figura no céu são chamados de Constelações. Na realidade, elas são criações dos antepassados de alguns milênios atrás inspiradas em figuras bem conhecidas. Ao longo dos séculos, cada cultura foi criando suas próprias constelações que diferiam das constelações criadas por outras culturas.

 

Somente em 1922, a União Internacional Astronômica estabeleceu 88 constelações que abrangiam todo o céu, tanto no Hemisfério Norte como no Hemisfério Sul. Essas constelações são aquelas que os astrônomos utilizam atualmente.

 

O assunto sobre a Terra é tão extenso como ela! Por isso, o Craque da Leitura leva aos seus leitores diversos títulos sobre Ciências para despertar o interesse pelos livros e desenvolver a leitura. Aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *